Recentes

Post Top Ad

Your Ad Spot

sábado, 27 de julho de 2019

Projetos voltados à leitura e ao estudo de música modificam a vida de 99 apenados em Cajazeiras



Ocupar o tempo livre com o bom hábito da leitura. Esse é um dos benefícios advindos do Projeto de Remição da Pena pela Leitura, idealizado pelo juiz da 2ª Vara Mista de Cajazeiras, Francisco Thiago da Silva Rabelo. A ação funciona nas duas unidades prisionais da Comarca. No total, 98 reeducandos são beneficiados com o projeto, sendo 81 da Penitenciária Regional Padrão, que abriga apenas homens, e 18 da Penitenciária Feminina de Cajazeiras. 

Na Penitenciária Regional Padrão, que abriga 292 presos, entre provisórios e definitivos, 25 apenados participam do projeto de remição pela música, segundo o diretor da unidade, Tales Alves de Almeida. “Os apenados que participam da iniciativa têm aulas de violão. A cada 12 horas de aula de música, a pena diminui um dia”, explicou. 

De acordo com o magistrado Francisco Thiago, o apenado pode aderir, voluntariamente, ao projeto, que normalmente é bastante procurado, porque permite a redução da pena em até 48 dias. “As duas penitenciárias contam com biblioteca. O reeducando pode ler uma obra literária dentro de 30 dias e elaborar um resumo que será submetido a uma comissão de análise. A comissão tem integrantes da Secretarias de Educação e de Administração Penitenciária, entre outros órgãos”, explicou.

Para o juiz Francisco Thiago, a vantagem da remição da pena conta muito em um primeiro momento. “Mas, a leitura também estimula a ressocialização, aumenta o nível de estudo, melhora a escrita e, até mesmo, a forma de falar e explicar o conteúdo aprendido. Por meio do projeto, os apenados diminuem o tempo ocioso e acabam incentivando os demais”, frisou o magistrado. 

A diretora da Penitenciária Feminina de Cajazeiras, Paloma Correia Lima, atestou a relevância do projeto, que beneficia 18 mulheres na unidade prisional. “A iniciativa é de extrema importância. Além de remir a pena e reinserir o reeducando, agrega conhecimento, ao mesmo tempo em que abre portas com novas oportunidades, sem falar na evolução intelectual”, destacou. 

Os projetos resultaram de parcerias entre o Poder Judiciário estadual, a Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Cajazeiras (FAFIC), Secretaria de Estado da Educação, Ciência e Tecnologia, Secretaria de Cultura do Município, Polícia Militar, Diretoria da Penitenciária Regional Padrão e Ministério Público estadual.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Post Top Ad

Your Ad Spot